Secretaria de Missões da Igreja Assembleia de Deus Ministério no Ipiranga

Como seria um “Pedro” em Atenas? A importância do preparo missionário.

Quando o assunto é missões, alguns tendem a ver de forma simplista, criando um modelo único de evangelização ou abordagem, mas isso não é algo novo, em Atos, a Igreja primitiva enfrentou o problema de levar o Evangelho a todos os povos com todas as suas implicações teológicas e culturais. Neste artigo pretende-se enfatizar a importância de se ampliar o entendimento da grande tarefa missionaria que foi comissionada a Igreja, como também delinear que a falta do preparo põe em risco toda missão e assim concluir que o preparo pode ser uma grande ferramenta para que o Evangelho seja anunciado onde Cristo não foi nomeado (Rm 15:20).

Charles Kraft certa feita indagou “Qual é a visão de cultura para Deus?” seria a cultura judaica? Seria a grega? Seria a brasileira? Segundo Kraft a resposta pode ser conferida em 1 Cor. 9:19,20 quando o apostolo Paulo expõe seu método de abordagem, quando diz “fiz-me tudo”, “judeus”, “sem leis”, “com lei”, “todos”, o que isto significa? Simplesmente que o Evangelho pode ser proclamado de maneira transcultural, pode transpor as fronteiras culturais, nas Escrituras encontramos algumas expressões que expressam atenção do apostolo Paulo no que concerne o conflito cultural,  uma é “fiz-me tudo” e a outra se encontra na referencia de Rm 15:20 “me esforcei por anunciar o Evangelho”, a referencia para “esforcei” no grego é philotimoumenon que significa labor exacerbado, conota a mesma coisa que um ultimo fôlego, retirar forças da onde não tem, a expressão “Fiz-me tudo” que é genoma cogita um fazer sem distinção de preferencias, sendo assim todos estavam na lista de Paulo, todos eram alvos do amor de Deus, por isso ele escreve aos Romanos que era devedor de  judeus e gregos e bárbaros. Ao verificar tanto a disponibilidade de Paulo como seu esforço em anunciar o Evangelho a todos, podemos nos perguntar, como transmitir o Evangelho a “todos”? possivelmente as maiores dificuldades estão no âmbito das diferenças culturais, e não temos “evangelhos”, mas sim um único Evangelho, porem para todos, que desafio!

Por esta razão a primeira questão é ampliar o entendimento sobre as culturas e como o Evangelho se relaciona com as diferentes cosmovisões, Kraft comenta em seu artigo que “há duas realidades, uma é como Deus vê e a outra como nós vemos as culturas com nossas limitações humanas”, Deus em suas promessas incluiu povos, línguas, tribos e nações (Ap. 7:9), analisando o exemplo de Paulo e Pedro e de como lidaram com conflitos de cosmovisão, veremos a importância do preparo para cumprir a missão de Deus.

Pedro em Atos 10 mostrou que seu judaísmo era a lente interpretativa de sua compreensão do Evangelho, Deus interpela a Pedro corrigindo seu modo de ver as outras culturas, e que seu plano baseava-se em uma plataforma mais ampla, em Gálatas 2:11-16 Paulo dá testemunho da inabilidade de Pedro entender que os gentios também faziam parte dos planos de Deus, as exigências culturais do judaísmo prendiam os judeus a uma visão pequena do Evangelho, a falta de entendimento de Pedro nesta questão, levou-o a limitar sua mensagem, podendo ser missionário somente aos seus compatriotas, que compartilham dos mesmos códigos culturais, como língua e costumes.

Paulo por sua vez, tinha essa sensibilidade de conhecer bem o Evangelho e bem a cultura. Ao analisar sua trajetória missionaria, observamos que sua mensagem era transferida a partir de um contexto histórico compartilhado pelo povo local, suas expressões “esforcei me” e “fiz-me de tudo”, relaciona com sua consciência da necessidade de conhecer o povo local, forma de linguagem e conteúdo da mensagem. Minha indagação inicial é “Pedro em Atenas, como seria?” Teríamos uma missão completa se Pedro apresentasse uma mensagem judaizante? Certamente que teríamos mais um concilio sobre conflitos culturais.

Diante do exposto, devemos encarar o desafio de evangelizar o mundo com suas reais implicações e realidades culturais, e nos convencermos que o preparo teológico, cultural e linguístico estão na base de toda missão evangelizadora, vemos em todo Novo Testamento esta tríplice acompanhando a mensagem do Evangelho, por exemplo, no preparo teológico responderíamos a seguinte questão: “Quem (DEUS) Anunciamos? Precisamos conhecer bem a Deus e seu plano. O preparo cultural seria entender “A quem (POVOS) anunciamos”? Entendendo as realidades culturais de cada povo para pregar lhes uma mensagem contextualizada e bíblica, confrontando-a naquilo que o Evangelho condena, e conciliando aquilo que glorifica a Deus e o preparo linguístico respondendo: “como anunciamos?”, existem diversas formas de anunciar, e uma mensagem mal compreendida geram prejuízos enormes na missão da Igreja.

Quando pensamos em uma suposta missão de Pedro em Atenas, não temos a intenção de enaltecer o ministério de Paulo e diminuir o de Pedro, pois vemos que Pedro teve seu importante papel na liderança local da igreja em Jerusalém e a tradição diz que seu ministério se estendeu em algum momento a cidade de Roma, porem quando enfrentou um desafio cultural, teve grandes dificuldades por sua pequena visão de mundo, enquanto Paulo recebeu um chamado para as nações, e como tal, apresentou grande preparo para apresentar o Evangelho.

Concluímos que independente de nosso chamado, todos devemos se aplicar ao estudo do Evangelho e sobre nossa missão, a Igreja é chamada para pregar a todas as nações, com suas culturas, línguas e costumes, por isso, se nossa chamada esta dentro deste desafio, então é hora de se preparar!


Miss. João Paulo - SEMADI

Fale Conosco

  • (11) 4524-4694 - FIXO
  • (11) 9 97502448 - VIVO
  • (11) 9 49747803 - TIM
  • (11) 9 89267908 - CLARO

 

Funcionamento de terça à sexta-feira
das 08h00 ás 17h00

Semadi na Rede

Informativo

Onde Estamos

Rua José Furlan, 45, Nosso Teto
CEP: 13251-661 | Brasil - Itatiba/SP
contato@semadisp.com.br

América, África, Europa, Oceania e Brasil

CONTRIBUA COM A OBRA MISSIONÁRIA:
Igreja Assembleia de Deus no Ipiranga

Banco Bradesco
Ag. 119-8 | CC 110.891-3

Banco Itaú
Ag. 0047 | 17664-9